Destaque Últimas Notícias Variedades

7 de Setembro o dia da Independência do Brasil – A Historinha que nos Contam

O dia da Independencia no Brasil foi uma jogada de Marketing feita por Dom Pedro I que iria enfrentar uma rebelião promovida pelas Elites do País no Século XIX(19) e para dizer que estava do lado do Brasil e não do de Portugal, inventou este tal grito da independência às supostas margens do Córrego do Ipiranga (grito este, que provavelmente nunca existiu).

O quadro que conhecemos como GRITO DA INDEPENDÊNCIA, foi Pintando em 1888 e o tal Grito Ocorreu em 1822, ou seja, 66 anos após o ocorrido é que fizeram este Quadro

O Dia da Independência foi oficialmente instituído/realizado em 07 de Setembro de 1822, quando o Príncipe Regente D. Pedro de Alcântara de Bragança, que mais tarde se tornou o Imperador Dom Pedro I; realizou este Famoso GRITO DA INDEPENDÊNCIA às margens do Córrego Ipiranga em São Paulo (esta é a historinha que nos contam).

Para provar logo de Cara que Dom Pedro I, só gritou a Independência, porque se não gritaria de dor, quando arrancassem a cabeça dele, foi que meses antes esta tal de independência, de Portugal, só lembrando que Dom Pedro I era filho do Rei de Portugal Dom João VI e que mais tarde ele próprio se tornou o Rei de Portugal (mostrando que era uma independência de meia tigela), foi que meses antes desta Independência Dom Pedro I, convocou a “Elite” Brasileira, para escreverem a primeira constituição do Brasil, no dia 03 de Junho de 1822, não porque ele queria, mas porque não tinha outro jeito. Sendo que o Imperador era tão FRACO, que esta Assembleia Constituinte convocada só ganhou força após o grito da Independência, sendo que nos livros de História dizem que a primeira Constituint do Brasil foi em 1823.

Mas descobriu que era muito liberal esta constituição, e mandou fechar o Congresso, ele queria ter o domínio Absoluto, porém foi obrigado a permitir que houvessem a criação do que hoje chamamos de partidos políticos, que eram definidos como de Situação que apoiavam a Coroa e denominados Moderados e os Exaltados (oposição) que defendiam maior autonomia das Províncias e um conceito mais “Americanizado” do comando do País.

Dom Pedro I tentou prender várias vezes os opositores a ele, mas descobriu rapidinho que iria acabar sendo ele preso e desistiu, o que fez o Imperador ficar revoltado… e muito… tanto que demitiu o seu Super Ministro Bonifácio de Andrada que foi considerado o Pai da Independência cerca de um ano e meio após ter dados poderes a este, o que fez Bonifácio ir a oposição e o Imperador, apesar de tenso teve que aceitar ou ele (imperador) morreria (simples assim), não porque Bonifácio era forte, mas porque a Elite Brasileira não iria deixar um Imperador ser Absolutista no País, obrigando este no TAPA a aceitar uma oposição.

Assembleia Constituinte de 1822 que só se tornou relevante em 1823 após o tal GRITO DA INDEPENDÊNCIA

Dom Pedro I era muito, mas muito impopular no Brasil os jornais da época e a população sempre denegriam a imagem dele e ele apesar de querer colocar fogo e enforcar os donos dos Jornais, tinha que engolir, sendo que quando ele foi embora do País em 1831 de volta a Portugal era muito, mas muito, muito impopular no Brasil, tipo há maioria dos nossos políticos atuais, onde só um grupinho pífios de fanáticos defendiam o Imperador.

Charge de Portugal que mostra a BRIGA entre Dom Pedro I e seu Tio Dom Manuel

Sendo que as caricaturas/charges se tornaram intensas no Segundo reinado, com Dom Pedro II (filho de Dom Pedro I, que era mais metralhado que o Pai).

Uma das muitas e muitas caricaturas, mostrando que o Brasil não morria de Amores por seus Imperadores, esta retrata Dom Pedro II, filho de Dom Pedro I

Para tentar resumir esta historia que levou este grito de Independência do Brasil, precisamos voltar alguns anos no tempo:

O Rei de Portugal que fugiu da invasão de Napoleão Bonaparte à Portugal que ocorreu precisamente em 27 de novembro de 1807, se mandou para o Brasil, isso porque o Rei sabia que ia tomar uma Surra de Napoleão e simplesmente abandonou o seu Pais que era Portugal; um frouxo? Provavelmente (claro que era), sendo que esta “covardia” do Rei de Portugal foi ótima para o Brasil, vide que a transferencia da corte para o nosso país em 1808, fez surgir de fato uma nação, com a construção de Universidades, Abertura de Portos, criação de Bancos e incentivo fortíssimo ao comércio e manufatura (que era o tipo de industrialização, antes da “revolução industrial).

O fato foi que o Rei de Portugal que era Dom João VI, que chegou primeiro em Salvador, mas fixou residência na cidade do Rio de Janeiro, fazendo desta a Capital do Império Português de 1808 até 1821, gostava tanto do Brasil que não queria voltar para Portugal nem à pau, mas foi obrigado porque estava já se formando Revoluções em Portugal (várias).

Quadro que Mostra o Rei Dom João VI fugindo para o Brasil, saindo de Lisboa

Devido o Abandono do Rei a sua terra Natal, vide que ele deixou o país entregue a Inglaterra, sendo os Britânicos os responsáveis por treinar, juntar, comandar e lutar ao lado do exército Português para expulsar os Exércitos de Napoleão (isso quando tinha as guerras napoleônicas, depois eles comandaram o país inteiro como se fosse um Estado Inglês), sendo que o Duque de Wellington, que quando chegou a Portugal era Sir Artur Wellesley e foi promovido depois por merecimento militar, foi desde sempre o responsável por comandar estas forças (inglesas e portuguesa), sendo que Napoleão enviou 3 excursões a Portugal e foi expulso as 3 vezes, quase em sua maioria, em alguns pontos os Franceses conseguiram ocupar, mas foram poucos.

Duque de Wellington e em cima do Cavalo Napoleão Bonaparte

O Duque Wellington, botou para quebrar e deu um trabalho absurdo as tropas de Napoleão, no final Napoleão perdeu a Guerra que travou para Dominar a Europa na épica Batalha de Waterloo, em 1815. Mas mesmo Napoleão tendo sido derrotado completamente, o Rei Dom João VI não queria voltar para Portugal nem à pau e ficou enrolando, só voltou devido as várias revoluções que ocorreram como a do Porto, vide que os Portugueses não aceitavam mais serem comandados pelos Ingleses que assumiram o País de fato.

“Quadro” do Rei Dom João VI voltando a Portugal em 1821 por livre e espontânea PRESSÃO

Dom João VI até cogitou em dizer: QUE SE LASQUE VOU FICAR É NO BRASIl! Mas ele teve que se mandar daqui porque a Aristocracia Brasileira, queria um País e um País, não pode ter um Governante Estrangeiro e nem ser Colônia. Tremendo nas Bases achando que perderia Portugal e o Brasil, eis que Dom João VI se mandou de volta a Lisboa em 1821, deixando o seu Filho como Principe Regente no Brasil, mas logo eles descobriram que se não houvesse alguma manifestação que transformasse o Brasil em um País (era uma Colônia), era muito provável que o Príncipe Regente seria enforcado, fuzilado, algo que levaria a sua morte.

Chegada de D. João VI a Salvador/Óleo sobre tela Cândido Portinari/ 1952

Isso porque no Brasil, a coroa era forte, mas quem mandava mesmo era as Elites, vide que famílias Nobres e não Nobres, vindas geralmente da Espanha e de Portugal; dominaram estas terra com ênfase à partir do século XVII, eram eles quem controlavam os Exércitos, o comércio, o ouro, tudo, era esta Aristocracia e a Coroa tentava negociar com eles e isso desde o ano de 1650 quando se estabeleceram com força no País.

Quer uma prova disso, a Revolução Mineira, conhecida como Inconfidência Mineira, onde todos os conspiradores foram Presos um só morreu na forca, justamente o mais pobre, que era Tiradentes e os mais Ricos pegaram penas bem mais leves, alguns foram expulsos do Brasil para sempre outros foram expulsos por 10 anos. Mas outros ficaram no Brasil e foram perdoados e tchau, justamente os mais ricos e poderosos. Isso porque se a coroa tivesse matado todos, ia causar uma revolução tão grande que seria uma guerra generalizada, onde provavelmente Portugal perderia esta colônia.

Percebam que um ano após o Rei de Portugal ter voltado a Portugal o seu Filho que ficou, foi OBRIGADO a declarar a independência do País e se nomeou Imperador em 22 de Outubro de 1822, dando um claro sinal que o Brasil agora era um País e tinha até um Imperador, sendo que Dom Pedro I foi embora em 1831 de volta a Portugal por 2 motivos: 1 que a Elite do Brasil iria literalmente cortar a Garganta dele, vide que o Imperador do Brasil fez uma constituinte, convocando a Aristocracia para participar, mas quando viu que a constituição que a Elite do Brasil tinha feito era muito liberal, eis que ele mandou fechar o “Congresso” e promulgou uma constituição que ele mesmo achava melhor isso fez com que a sua permanência no Brasil ficasse muito difícil e em Portugal o seu Tio Dom Manuel havia roubado o Trono, após a morte de Dom João VI e ele foi lá defender sua posição de Rei, tendo travado algumas batalhas ferozes com este seu Tio. Dom Pedro I Morreu em 1834 em Portugal como Rei e lá foi enterrado.

Detalhe:

Sendo que Dom Pedro I perdeu parte do Brasil, isso porque ele perdeu a Guerra Cisplastina  de 1825 até 1828, que foi uma guerra do Império do Brasil, contra as pronvincias Unidas do Rio Prata (basicamente o Uruguay, com apoio de algumas provinciais Argentinas), onde estava em jogo o controle do que Hoje conhecemos como Montevidéu (Capital do Uruguay) e todo aquele pedaço de terra que chamamos hoje de Uruguay (em Espanhol escreve-se com Y, como eles ganharam vamos escrever Uruguay com Y porque sim). E nesta Guerra o Brasil perdeu, sendo que a Província da Cisplastina, se tornou “independente” (antes era controlada pelo Brasil). Acabou no final das contas havendo maior controle por Parte dos Argentinos na Cisplastina, após os anos seguintes à guerra, e o poder Brasileiro/Português foi exaurido na região.

E o que aprendemos com a História? Que nossos Governantes só acham que são fortes, vide que quando eles enchem muito o saco ou algum acaso ocorre, geralmente são depostos, mortos não, porque aprendemos a ser um País que não “curte” degolas, enforcamentos e estas outras coisas comuns com os governantes Europeus, onde muitos foram mortos, aqui a gente os Depõe e manda VAZAR (geralmente)!

Tem uma Frase atribuida a Abraham Lincoln Ex-Presidente dos Estados unidos, mas em sua Gênesis esta frase é de Maquiavel, sendo muito interessante nos dias antigos e atuais, que é a Seguinte: Dê Poder a um Homem e descubra seu caráter… ou coisa do Gênero.

 

 

 

Sobre o Autor

Ernani J. De M.M.

Ernani J. De M.M.

Redator do Kiau Notícias e outras coisas mais

Deixe um recado

error: O Conteúdo desta Matéria não pode ser Copiado sem Autorização