Destaque Últimas Notícias Variedades

Crack uma “Doença” que Continua a Matar e Elevar o Crime no Vale do Jequitinhonha

Não tem jeito, se tem uma coisa que desde o começo do ano 2000, todo mundo ou quase todo mundo que vive no Vale do Jequitinhonha, já descobriu é que o CRACK é uma “doença”, que provoca crime. Isso porque a pessoa que utliza Crack fica rapidamente viciada, começa a vender tudo que tem para comprar a droga e quando acaba o que tem, muitos começam a roubar.

Mapa dos Roubos Consumados, que são aqueles que a vítima é parada na rua ou surpreendida dentro de casa e sob ameaça e ou violência tem algum bem roubado. Em Araçuaí já foram 78 casos assim até maio deste ano, a maioria roubo de celular de pessoas na rua.

Os altos índices de roubos de celulares nas ruas das pequenas cidades do interior por exemplo, são realizados geralmente (tipo 70% dos casos), por viciados em crack, que estão já psicologicamente afetados pelo consumo excessivo de drogas e na necessidade de adquirir mais drogas, começam a roubar celular nas ruas; ou até as casas vazias ou não.

Mapa que mostra os Furtos Consumados no Médio Jequitinhonha. Furto, é quando alguém rouba alguma coisa sua e você não vê. Entra na sua casa, quando não esta e rouba suas coisas, você deixa sua bolsa em algum lugar alguém leva e você só se dá conta depois. Coisas que te furtem (levem o que é seu ) sem usar a violência. Almenara é recordista deste quesito na região com 381 Furtos Consumados até maio deste ano de 2017

Mesma pessoa e as mudanças provocadas pelas drogas

Já Começamos há muito tempo a ter pessoas viciadas  em crack, aliciadas para o mundo do crime, de uma maneira muito fácil, porque elas são vítimas fáceis para os traficantes que tem o que elas querem, que é a droga, sendo estas pessoas usadas como objetos do mundo do crime de diferentes maneiras e tão criativas que talvez nem eu queria saber; algo realmente cruel, onde o ser humano tem menos valor que qualquer animal. Estamos falando do submundo do submundo do crime mesmo, o underground, lá embaixão… desce as escadas até o inferno e continua descendo mais 12 andares.

E malandro, quem vive 12 andares abaixo do “andar/nível”do inferno, geralmente só consegue, porque esta completamente anestesiado devido ao uso continuo de drogas… espero que você consiga entender o problema que isso é, porque além de destruir a vida do usuário/viciado, ainda destrói a vida da família deles e de pessoas que nem conhecem, vítimas ocasionais do roubo, furto e outras violências diversas de algum “viciado” , devido a necessidade deste consumir esta droga ou motivado pelo efeito desta. Sendo este o motivo principal que demonstra a necessidade de se erradicar este tipo de droga que esta destruindo tudo, até o próprio crime. Porque no final das contas, começa a trazer muito prejuízo a quantidade de repressão que o Crack demanda das autoridades.

O CRACK, faz qualquer pessoa deixar de ser ela mesma e passar a ser outra pessoa, porque o João de antes, não é o mesmo João depois de estar viciado. A Maria que sorria, agora, só chora quando não esta chapada, o José que sonhava, hoje não tem condições nem de sonhar, porque tudo é tão confuso em sua cabeça que só o que importa é o momento de fumar mais crack.

Esta é uma Droga realmente nociva a sociedade e só quem conhece de perto pessoas, que ficaram viciadas, nesta substância maléfica, podem lhes informar o que eu digo. É algo assustador o que o Crack faz com as pessoas, mais que qualquer outra droga mesmo, pelo menos das mais comercializadas no Brasil. Sendo esta uma das drogas mais consumidas no território nacional e o maior consumidor do mundo de Crack é o Brasil, segundo a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em um estudo do ano de 2016, o Brasil detém 20% de todo o comércio MUNDIAL de Crack, ou seja, um quinto de tudo que é vendido de crack no Planeta é vendido no Brasil… segundo este mesmo estudo: “A cocaína fumada (crack e oxi) já foi usada pelo menos uma vez por 2,6 milhões de brasileiros, representando 1,4% dos adultos. Os adolescentes que já experimentaram esse tipo da droga foram 150 mil, o equivalente a 1%.”

Estão são dos dados do ano de 2012. Estes dados que já eram ruins em 2017, são muito piores

No Ano de 2015, O Jornal MGTV InterTV, fez uma matéria muito perturbadora até sobre a questão da comercialização do Crack na Cidade de Itaobim, que poderão ver na integra, neste link:
http://g1.globo.com/mg/vales-mg/mgintertv-2edicao/videos/v/refens-do-crack-trafico-alicia-criancas-e-destroi-familias-no-vale-do-jequitinhonha/4146650/

Sendo que creio, já estar diferente, pelo menos a comercialização livre… de toda forma, eis que esta matéria mostra bem o problema e o sofrimento que o Crack proporciona ao seu usuário.

 

 

Sobre o Autor

Ernani J. De M.M.

Ernani J. De M.M.

Redator do Kiau Notícias e outras coisas mais

Deixe um recado

error: O Conteúdo desta Matéria não pode ser Copiado sem Autorização