Destaque Últimas Notícias Variedades

Vale do Jequitinhonha, Sul da Bahia e Norte de Minas – Cidades Estagnadas ou Com População menor do que há 26 anos atrás

É isso aí o Norte de Minas, Vale do Jequitinhonha e o Extremo Sul da Bahia, para não ir mais longe, sofrem com o descaso político para com uma região que empobreceu com o passar dos anos, com raras as excessões, devido o nosso abandono Político há décadas. Abandono este que motiva a população também a abandonarem suas cidades de origem em busca de um futuro melhor em cidades, geralmente maiores das que nasceram.

O Vale do Jequitinhonha na Década de 1950 era um importante produtor de Leite, hoje ocupa o último lugar no Estado no Ranking de Produtores de Leite

E quando eu digo décadas, põe décadas nisso, porque nos últimos 62 anos tivemos um pífio crescimento populacional e de renda, com ênfase nos últimos 26 anos anos, só Porto Seguro e Eunápolis ambas na Bahia, cresceram de maneira impactante, as demais cidades nesta região ficaram quase estagnadas ou caíram a população e a renda per capta.

Desta região Inteira, indo do Nordeste de Minas até o Extremo Sul Baiano, Apenas Porto Seguro teve crescimento exponencial, no caso esta cidade devido ao Turismo

No caso de Porto Seguro o Crescimento foi absurdamente impactante mesmo, porque em 1991 esta cidade tinha 35.661 já em 2017 temos 149.234 habitantes, ou seja são quase 114 mil pessoas há mais em 26 anos. Já Eunápolis cresceu de maneira muito mais modesta, saindo de 70.545 para 100.196 habitantes, ou seja, quase 30 mil habitantes há mais do que tinha no inicio do mesmo período. Taiobeiras no Norte de Minas é outra cidade que cresceu também, mas muito menos que as da Bahia, sendo que em 1991 tinha 26.673 e em 2010 30.917, chegando há 33.824 habitantes em 2017, um crescimento de mais de 7 mil habitantes em 26 anos, sendo que Taioberias fica no Norte de Minas.

Cidades como Novo Cruzeiro, Almenara, Salinas, Carlos Chagas e Teófilo Otoni estavam entre as maiores detentoras de Rebanhos de Muares – Mulas (Burros) e Salinas ainda tinha destaque nos Equinos..

As demais cidades da região, algumas tiveram um retorno da população nos últimos 7 anos vide que iniciou-se um período de “Volta para Casa”, onde muitas pessoas começaram a voltar para suas cidades de origem devido a escassez de emprego em cidades maiores, onde antes moravam. O que resultou em um maior crescimento da população, nos últimos 7 anos. Mas a maior parte das cidades ficou foi parada no tempo e isso nos últimos 62 anos, com crescimento negativos ou pífios. 

Um Exemplo de cidade que ficou quase parada no tempo é Araçuaí, que de 1991 até o ano de 2010, cresceu cerca de 2.300 habitantes, saindo de 33.826 no ano de 1991 para 36.013 no ano de 2010. Agora, de acordo com o IBGE a população desta cidade (todo o município)  é de 37.361 habitantes.

Perceba que o gráfico da evolução da população de Araçuaí de 1991 até 2010 ficou quase inalterado, com leve evolução de população

Ou seja, em 26 anos, Araçuaí por exemplo, teve um crescimento de menos de 4 mil habitantes, isso repito em 26 anos (é ano pra dedéu), isso corresponde um crescimento de menos de 12% em todo o período que é de 26 anos e isso se dividido dá menos de meio por cento ao ano, ou seja, Araçuaí cresceu em média 0,4% ao ano, nos últimos 26 anos.

Mas agora poderá inflar devido a volta de milhares de pessoas, que devido a crise perderam seus empregos nas grandes cidades que viviam e agora estão voltando ou já voltaram para suas cidades de origem como é o caso de Araçuaí, sendo assim possível que a população aumente, como já ocorreu em outras cidades da região.

No caso de Araçuaí,  podem notar que esta cidade cresceu apenas 12% em 26 anos, porém se formos comparar com o ano de 1955, que Araçuaí tinha 25.405 habitantes, poderemos concluir que em 62 anos (1955 – 2017), Araçuaí cresceu menos de 12 mil habitantes, vide que no ano de 2017, temos 37.361 habitantes. Isso corresponde há pouco mais de 40% de crescimento em 62 anos, que dá uma média de 1,55% ao ano de crescimento, ou seja, Araçuaí, nos últimos 62 anos cresceu em média 1,55% ao ano, a sua população e nos últimos 26 anos, de maneira mais lenta crescendo em média 04%; sendo que teve uma grande queda em agronegócios de maneira geral e o trabalho neste município bem como na maior parte dos outros, migrou do campo para a cidade, da fazenda para o comercio e a prestação de serviços, isso nos últimos 26 anos.

População de Araçuaí no ano de 1955 era de 25.405 pessoas já em 2017 é de 37.362 pessoas. Em 62 anos um aumento de 12 mil habitantes. Sendo que todos os Distritos continuam pertencentes a Araçuaí neste ano de 2017 Schnoor e Itira

Agora vamos ao caso de Almenara, também no Vale do Jequitinhonha, uma cidade que em 1991 tinha 45.416 habitantes e do ano de 1991 até 2010, caiu para 38.775, ou seja, Almenara perdeu quase 7 mil habitantes de 1991 até 2010, que significa cerca de 16% da população da cidade ter ido embora, mostrando que lá não tinha trabalho para tanta gente e a população abandonou em massa a cidade.

Almenara, observem a queda brusca no Gráfico e depois a subida lenta. A população no final dos anos 1990 e começo do ano 2000 abandonou em massa a cidade. Sendo que começou a retornar com maior intensidade apartir o ano de 2014

Almenara foi uma das cidades que mais perderam população em toda a região em 19 anos.De 1991 até 2010, mas recuperou boa parte de maneira rápida também, tendo crescido mais de 12% até o ano  atual de 2017 se comparado com 2010, a população estimada é de 41.794 pessoas hoje em dia (2017). Porém, se também formos comparar Almenara com sua população do ano de 1955, veremos que em 62 anos, Alemenara só cresceu cerca de 9 mil habitantes, porque em 1955 ela tinha 32.517 habitantes, hoje contra com 41.794.

Hoje os Distritos de Mata Verde, Badeira e Divisopolis são Municípios só Pedra Grande permanece distrito. Dados do Ano de 1955.

Ou seja, em 26 anos, Almenara foi a cidade onde a população mais oscilou na região, percentualmente, indo da fuga em massa da população nas décadas de 1990 e de 2000 (até 2010) e depois, de 2014, com muita ênfase em 2016 e 2017, a população que outrora tinha saído, ficou sem emprego e regressou a Almenara, que ainda não tem suporte para suportar este fluxo sanfona (crescimento e encolhimento significativo da população) não consegue suportar tanta gente, consequentemente não há empregos também para tantas pessoas, o que leva a uma situação muito complexa que deverá apresentar sinais ainda mais graves em taxas de crimes, vulnerabilidade social e demais mazelas que a pobreza ocasiona em todos os lugares, caso medidas públicas não sejam tomadas com urgência. Sendo que Almenara ainda não recuperou sua população de 1991, faltando cerca de 9% da população (de hoje), que são cerca de 4 mil pessoas, para voltar sua população de 1991 ( em 1991 era de mais de 45 mil em 2017 é de menos de 42 mil habitantes).

Do ano de 1991 até o ano de 2010, a população de Diamantina não cresceu quase nada.Saindo de 41 mil para 45 mil de habitantes em 19 anos. Mas de 2010 até 2017 cresceu mais de 3 mil habitantes com ênfase de 2014 para diante, reflexo da crise, que também trouxe muitos Diamantinenses de volta para casa

Diamantina outra cidade no Vale do Jequitinhonha, tinha 44. 299 habitantes em 1991 e em 2010 passados 19 anos, contava com 45.880, ou seja, Diamantina, a maior cidade do Vale do Jequitinhonha, que conta com um dos maiores centros históricos do mundo, patrimônio mundial, além de Universidades como a UFVJM e outras, cresceu 1581 habitantes em 19 anos seria cerca de 84 habitantes há mais por ano nos últimos 19 anos… mas de 2014 até 2017 cresceu quase 3 mil habintantes, chegando a 2017 com 48.230 habitantes, reflexo da crise e da volta para casa de muitos.

Salinas de todas as cidades da região foi a que teve a maior queda de sua população de 1991 até o ano de 2010. Veja como o gráfico despenca

E Salinas que fica entre no Vale do Jequitinhonha e o Norte de Minas? Lá o Negócio foi mais feio que Almenara, onde a população abandonou em massa a cidade, vide que em 1991 Salinas tinha 50.849 habitantes do ano de 1996 até o ano 2000, ou seja em 4 anos, Salinas perdeu mais de 13 mil habitantes de uma só vez, sendo que de 1991 com seus 50.849 habitantes em 2010 Salinas tinha 39.178 habitantes e hoje, a estimativa é de 41.678 habitantes. Ou seja, Salinas de 1991 até 2017, em 26 anos, perdeu  mais de 9 mil habitantes, quase 18% da sua população comparada a 1991, se foi e não voltou. Parte considerável disto devido ao desmembramento de Distritos como: Santa Cruz de Salinas, Novorizonte e  Fruta de leite, sendo que hoje estes distritos se tornaram cidades.

 

 

Sobre o Autor

Ernani J. De M.M.

Ernani J. De M.M.

Redator do Kiau Notícias e outras coisas mais

2 Comentários

  • sou muito fâ e admirador do trabalho que vcs fazem, más irei discordar destes numeros apresentados em relação a queda populacional de Salinas MG. Levando em consideração os numeros apresentados , nesses 26 anos salinas teve 03 localidades que obtiveram a emancipação nesse periodo e que foram: Santa Cruz de Salinas 4,397 hab. – Novorizonte 4,953 hab – Fruta de leite 5,940 hab. total 15,290 hab. assim esses numeros apresentados teriam que levar em consideração o desligamento desses municípios.Espero ter colaborado com vcs

Deixe um recado

error: O Conteúdo desta Matéria não pode ser Copiado sem Autorização